terça-feira, 1 de junho de 2010

Exílio

Sonhos clandestinos

Esperanças roubadas

Caminho sem volta

O que lhe restou naquele anonimato

A não ser vomitar um “poema sujo”?


*Em alusão à Ferreira Gullar quando do seu exílio em Buenos Aires, obra tida como testemunho final. Poema Sujo é uma obra lindíssima de caráter fragmentário e de uma temporalidade no tocante ao homem e às coisas.

3 comentários:

Anônimo disse...

Estes pequenos versos, caso não me engano, você criou para Ferreira Gullar? Caso sim, boa lembrança de Poema sujo.

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Luciana,
Exilo-me bem aqui, moça sensível de Sergipe...

Abraço mineiro,
Pedro Ramúcio.

Fanzine Episódio Cultural disse...

“ENCONTRO COM A ACADEMIA”

A Academia Machadense de Letras realizará durante suas reuniões, o “Encontro com a Academia”.
Este acontecimento tem como objetivo, a interação e divulgação das manifestações culturais, através de debates com membros da nossa cidade e região.

Contatos:
Carlos Roberto de Souza
machadocultural@gmail.com
(35) 3295-6106
(35) 8833-9255
Bog da Academia: http://academiamachadense.blogspot.com.br/



Você gostaria deter seu texto (poema, conto, prosa, ensaio, matérias de cultura em geral, biografias de bandas, artesanato, turismo, artes plásticas, saúde, vida, sociedade...etc) no blog FANZINE EPISÓDIO CULTURAL?
Envie seu texto com uma foto sua ou uma imagem relacionada ao texto para machadocultural@gmail.com

Acesse o blog:
HTTP://www.fanzineepisodiocultural.blogspot.com

 
©2007 '' Por Elke di Barros